Oi gente! Fiquei com vontade de mostrar minha lista de desejos e fazer da mesma forma que eu fiz no outro post, que montei sobre livros chick lit (clique aqui). E dessa vez resolvi fazer sobre livros distópicos, que para quem não sabe, segue a definição aí embaixo (obs. peguei do site: significados)

A distopia é um pensamento filosófico que caracteriza uma sociedade imaginária controlada pelo Estado ou por outros meios extremos de opressão, criando condições de vida insuportáveis aos indivíduos. Normalmente tem como base a realidade da sociedade atual idealizada em condições extremas no futuro.


Maze Runner - Correr ou morrer. James Dashner
 Ao acordar dentro de um escuro elevador em movimento, a única coisa que Thomas consegue lembrar é de seu nome. Sua memória está completamente apagada. Mas ele não está sozinho. Quando a caixa metálica chega a seu destino e as portas se abrem, Thomas se vê rodeado por garotos que o acolhem e o apresentam "A Clareira", um espaço aberto cercado por muros gigantescos. Assim como Thomas, nenhum deles sabe como foi parar ali, nem por quê.
Sabem apenas que todas as manhãs as portas de pedra do Labirinto que os cerca se abrem, e, à noite, se fecham. E que a cada trinta dias um novo garoto é entregue pelo elevador. Porém, um fato altera de forma radical a rotina do lugar - chega uma garota, a primeira enviada à Clareira. E mais surpreendente ainda é a mensagem que ela traz consigo. Thomas será mais importante do que imagina, mas para isso terá de descobrir os sombrios segredos guardados em sua mente e correr... correr muito. 

Delírio. Lauren Oliver
Muito tempo atrás, não se sabia que o amor é a pior de todas as doenças. Uma vez instalado na corrente sanguínea, não há como contê-lo. Agora a realidade é outra. A ciência já é capaz de erradicá-lo, e o governo obriga que todos os cidadãos sejam curados ao completar dezoito anos.
Lena Haloway está entre os jovens que esperam ansiosamente esse dia. Viver sem a doença é viver sem dor: sem arrebatamento, sem euforia, com tranquilidade e segurança. Depois de curada, ela será encaminhada pelo governo para uma faculdade e um marido lhe será designado. Ela nunca mais precisará se preocupar com o passado que assombra sua família. Lena tem plena confiança de que as imposições das autoridades, como a intervenção cirúrgica, o toque de recolher e as patrulhas-surpresa pela cidade, existem para proteger as pessoas.
Faltando apenas algumas semanas para o tratamento, porém, o impensado acontece: Lena se apaixona. Os sintomas são bastante conhecidos, não há como se enganar - mas, depois de experimentá-los, ela ainda escolheria a cura? 

Estilhaça-me. Tahereh Mafi
Juliette nunca se sentiu como uma pessoa normal. Nunca foi como as outras meninas de sua idade. O motivo: ela não podia tocar ninguém. Seu toque era capaz de ferir e até matar. Durante anos, Juliette feriu e, segundo seus pais, arruinou o que estava à sua volta com um simples toque, o que a levou a ser presa numa cela. Todo dia era escuro e igual para Juliette até a chegada de um companheiro de cela, Adam. Dentro do cubículo escuro, Juliette não tinha notícias do mundo lá fora. Adam ia atualizando-a de tudo.
Juliette não entendeu bem o que estava acontecendo quando foi retirada daquela cela e supostamente libertada, ao lado de Adam, e se vê em uma encruzilhada, com a possibilidade de retomar sua vida, mas por caminhos tortuosos e totalmente desconhecidos.

Em chamas. Suzanne Collins
Depois de ganhar os Jogos Vorazes, competição entre jovens transmitida ao vivo para todos os distritos de Panem, Katniss agora terá que enfrentar a represália da Capital e decidir que caminho tomar quando descobre que suas atitudes nos jogos incitaram rebeliões em alguns distritos. Dessa vez, além de lutar por sua própria vida, terá que proteger seus amigos e familiares e, talvez, todo o povo de Panem. 

Feios. Scott Westerfeld
Séculos depois da destruição da civilização industrial em um apocalipse ecológico, a humanidade vive em cidades-bolha cercadas pela natureza selvagem. Lá, Tally Youngblood é feia. Não, isso não significa que ela é alguma aberração da natureza. Não. Ela simplesmente ainda não completou 16 anos. Em Vila Feia, os adolescentes ficam presos em alojamentos até o aniversário de 16 anos, quando recebem um grande presente do governo: uma operação plástica como nunca vista antes na história da humanidade. Suas feições são corrigidas à perfeição, a pele é trocada por outra, sem imperfeições ou – nem pense nisso – espinhas, seus ossos são substituídos por uma liga artificial, mais leve e resistente, os olhos se tornam grandes e os lábios, cheios e volumosos. Em suma, aos 16 anos todos ficam perfeitos.Tally mal pode esperar pelo seu aniversário. Depois da operação, vai finalmente deixar Vila Feia e se mudar para Nova Perfeição, onde os perfeitos vivem, bebem, pulam de paraquedas, voam a bordo de suas pranchas magnéticas, e se divertem (o tempo todo). Seu único trabalho é aproveitar muito. Mas, enquanto espera que as poucas semanas até completar 16 anos passem, Tally precisa se distrair. Uma noite, ela conhece Shay, uma feia que não está nem um pouco ansiosa para completar 16 anos. Pelo contrário: Shay pretende fugir dos limites da cidade e se juntar à Fumaça, um grupo de foras-da-lei que sobrevive retirando seu sustento da natureza. 

Fahrenheit 451. Ray Bradbury
Escrito após o término da Segunda Guerra Mundial, em 1953, Fahrenheit 451, de Ray Bradubury, revolucionou a literatura com um texto que condena não só a opressão anti-intelectual nazista, mas principalmente o cenário dos anos 1950, revelando sua apreensão numa sociedade opressiva e comandada pelo autoritarismo do mundo pós-guerra. Agora, o título de Bradbury, que morreu recentemente, em 6 de junho de 2012, ganhou nova edição pela Biblioteca Azul, selo de alta literatura e clássicos da Globo Livros, e atualização para a nova ortografia. A singularidade da obra de Bradbury, se comparada a outras distopias, como Admirável Mundo Novo, de Aldous Huxley, ou 1984, de George Orwell, é perceber uma forma muito mais sutil de totalitarismo, uma que não se liga somente aos regimes que tomaram conta da Europa em meados do século passado. Trata-se da “indústria cultural, a sociedade de consumo e seu corolário ético – a moral do senso comum”, segundo as palavras do jornalista Manuel da Costa Pinto, que assina o prefácio da obra. Graças a esta percepção, Fahrenheit 451 continua uma narrativa atual, alvo de estudos e reflexões constantes. O livro descreve um governo totalitário, num futuro incerto, mas próximo, que proíbe qualquer livro ou tipo de leitura, prevendo que o povo possa ficar instruído e se rebelar contra o status quo. Tudo é controlado e as pessoas só têm conhecimento dos fatos por aparelhos de TVs instalados em suas casas ou em praças ao ar livre. A leitura deixou de ser meio para aquisição de conhecimento crítico e tornou-se tão instrumental quanto a vida dos cidadãos, suficiente apenas para que saibam ler manuais e operar aparelhos.

E aí gente, o que você acham das distopias? Já leram algum? Me contem <3


9 Comentários

  1. eu amo distopias já li vários livros desse tema e nunca me canso, to sempre a procura de mais, as distopias que eu li e mais gostei foram Jogos Vorazes, Divergente e 1984.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quero muito ler 1984, deveria ter colocado aqui também!
      BJS Manu <3

      Excluir
  2. Eu não sou muito fã de distopia.
    As histórias/sinopses não conseguem chamar a minha atenção então não me empolgo.
    A única que eu me lembro que tenho é Estilhaça-me e vi uma resenha de Delírio recentemente que me deixou com muita vontade de ler.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah dá uma chance para as distopias, talvez você vire uma fã, hehe.
      Estilhaça-me já coloquei na minha lista do amigo literário, hehe.
      BJS chará

      Excluir
  3. Quero muito ler Estilhaça-me, já comprei só preciso acabar as leituras obrigatórias primeiro que são mais importantes, hahah :)) Uma distopia que quero ler pois dizem que é muito boa é Legend ^^

    Sorriso Espontâneo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também estou passando por essa fase de leituras obrigatórias, meus livros já estão bravos comigo até, haha
      Bjs

      Excluir
  4. Hellooo!!!
    Então, eu amooo distopias e nem sabia que era esse nome, hahaha! Seria até legal fazer uma coluna no blog mostrando esses significados, tipo NA,YA... tanta sigla ne?!
    Bom, dos livros da lista eu ja li a coleção do Jogos Vorazes. Apenas vi o filme do Maze Runner e virei fã, doida pra ver a sequência logo. =)
    Esse Estilhaça-me eu quero mtooo, acho a capa linda e mta gente fala bem dele.
    Os demais livros eu ja vi, mas não quero ler por enquanto, estou com uma lista meio grandinha ja, hehehe.
    Bjus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já fiz uma de chick lit, acompanhe o blog e vou fazer mais posts assim!
      Fico feliz que você gostou Suzzy.
      Um beijão <3

      Excluir
    2. Amooo chick lit. Agora que conheci seu blog, vou visitar sempre.
      Bjus

      Excluir

Olá gente! Por favor sintam-se a vontade para comentar. O gemices está de portas abertas para críticas construtivas.Caso haja algum comentário fora dos valores morais, iremos excluir de imediato. Deixem o link do blog de vocês que iremos retribuir todos que seguem aqui!
Beijocas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...